O documentário conta a história do bairro de Santana, a partir do Campo de Marte, central na identidade do território e que atualmente corre o risco de ser desativado. O filme tem como ponto de partida a trajetória da aviadora pioneira Ada Rogato, heroína nacional que morreu em São Paulo, em novembro de 1986, aos 76 anos. O corpo foi velado no Museu da Aeronáutica, o cortejo foi acompanhado pela Esquadrilha da Fumaça.

Ada foi a primeira aviadora a chegar sozinha à Terra do Fogo, no extremo sul do continente em 1960, partindo do Campo de Marte. Seu corpo foi exumado em 1993 e seus restos mortais transferidos para o ossário do Cemitério de Santana onde permaneceram num jazigo anônimo, até outubro de 2018. O filme recupera a memória de uma mulher pioneira, que apesar de sua relevância, foi esquecida em um ambiente que é predominantemente masculino, até os dias de hoje.

Projeto em desenvolvimento.