Documentário longa-metragem sobre Alzira Espíndola, cantora, compositora e instrumentista de origem sul-mato-grossense e de raízes paulistanas, que atravessa e transfigura gerações na música contemporânea brasileira. Projeto selecionado pelo Rumos Itaú Cultural 2017-2018.

Alzira E é referência na cena musical independente de São Paulo, com raízes no centro-oeste do país, uma mulher com potência artística autoral que representa a multiplicidade da música brasileira. O filme documenta sua trajetória, que envolve parcerias com Itamar Assumpção, Alice Ruiz, Ney Matogrosso, Arrigo Barnabé, Benjamim Taubkin, Almir Sater, Luhli e Lucina, Anelis Assumpção, arrudA, Luiz Waack, CORTE, Renato Teixeira e Tetê Espíndola.

“Alzira E – Aquilo que nunca perdi” é um filme necessário por retratar, de forma inédita, a trajetória criativa de uma artista peculiar que ocupa um lugar inventivo e transgressor na música, de uma mulher que transita, que protagoniza, que transforma, e que construiu sua obra junto com parceiros e parceiras notáveis de diferentes gerações.

Confira entrevista publicada pelo Rumos Itaú Cultural sobre o documentário.

“É grande façanha viver de provocar a si mesma”. (Estado de São Paulo, sobre Alzira E em CORTE)Projeções Audiovisuais cinema-cenário para o show da Banda Corte Sesc Pompéia  (Marina Thomé – Estúdio CRUA)

Para saber mais sobre a banda CORTE, novo trabalho de Alzira E:
https://bit.ly/2UUWj4

Projeto em Produção – FSA SALIC 180019

Equipe
Direção & Fotografia: MARINA THOMÉ
Produção Executiva: MARCIA MANSUR